sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Sobre o que não tem fim.

                      





Eu pedi ao tempo para aquietar a saudade, e adormecer a vontade de você.
Eu coloquei nas mãos dos dias a responsabilidade de me fazer esquecer.
Distraí pensamentos, inventei novos amores, fingi que acabou.
Demorei pra perceber que não se pode enganar o amor...

E o meu 'nunca mais' só durou até ver o seu sorriso de novo.



Karla Tabalipa


2 comentários:

  1. e para sempre te amei até o dia seguinte!

    ResponderExcluir
  2. Se o sempre mede a intensidade, o nunca mais deve medir a saudade.

    ResponderExcluir